O valor positivo do conflito

O conflito pode ser definido como uma divergência percebida de interesses ou uma crença de que as aspirações atuais das partes envolvidas não podem ser alcançadas simultaneamente. Em geral, ele sempre é associado a algo negativo. As crenças pessoais e experiências passadas levam as pessoas a terem uma visão negativa do conflito, que é um fato ruim da vida e que conduz à perda de energia, de amizades, de tempo, de recursos econômicos, da felicidade, entre outras coisas.

Realmente é difícil em um primeiro momento encontrar valores positivos no conflito e as pessoas geralmente quando o fazem têm como base as experiências em que saíram vencedoras de uma disputa, como por exemplo, quando conseguiram impor a sua razão e a as suas necessidades foram completamente satisfeitas. No entanto, nem sempre isso é possível, em uma disputa com base na competição sempre alguém sairá com as suas necessidades e desejos não atendidos.

O verdadeiro valor do conflito não reside em sair vencedor de uma batalha, muito menos conseguir impor a sua razão ao outro lado. Entre os valores positivos do conflito, deve-se destacar que ele evita o estancamento de uma relação, evidencia que alguma necessidade não está sendo atendida, impõe novos desafios, é uma oportunidade de melhorar e transformar as relações, estimula o interesse e a curiosidade das pessoas, desperta a criatividade na busca de uma solução e faz com que os envolvidos aprendam melhores caminhos para resolverem os problemas.

Boa comunicação é a chave para a mudança da perspectiva do conflito

A ferramenta mais importante para alcançar este objetivo é estabelecer uma boa comunicação entre as pessoas, através da escuta e da empatia.

A escuta ativa é a capacidade de receber com profundidade as informações, entender a mensagem que está sendo transmitida, aquilo que muitas vezes está por trás de um discurso ou fala. Para uma boa escuta pode ser importante fazer perguntas – abertas de preferência – resumos e paráfrases para confirmar a mensagem que se está recebendo, assim como poder reconhecer os sentimentos e as necessidades das pessoas. A linguagem não-verbal também exerce um papel importante na comunicação e o receptor deve estar atento aos sinais não verbais para uma melhor compreensão da mensagem.

A empatia pode ser conceituada como a capacidade que as pessoas têm de compreenderem e entenderem os outros. Não se trata de estar de acordo com o outro, mas sim entendê-lo e se colocar em seu lugar. Para isso, é importante abster-se de juízos de valores e sempre buscar se relacionar com base na igualdade, tratando os demais como semelhantes e respeitando as diferenças de cada um. É também ter a capacidade de perceber e sentir o estado emocional das pessoas e saber que isso vai muito além do seu discurso ou da sua posição, que muitas vezes demonstram o contrário do que realmente se está sentindo.

Uma comunicação com estes dois ingredientes pode ajudar a mudar a perspectiva negativa que as pessoas têm do conflito, já que a partir disso, o contexto de competição pode dar lugar à um ambiente de colaboração, no qual as potencialidades positivas da disputa podem ser exploradas e melhor aproveitadas pelos envolvidos.

Para mudar o padrão das pessoas em um conflito é importante levar em consideração quatro aspectos: tomar consciência do conflito, ter uma boa disposição para mudar o comportamento, empregar habilidades corretas para a mudança e contar com apoio quando seja necessário.

A mediação pode ser o melhor caminho

Para uma boa comunicação é necessário um espaço para o diálogo. A mediação é um processo baseado na comunicação que trabalha a resolução do conflito e também ajuda a explorar as potencialidades positivas de uma disputa. Um dos papéis do mediador é gerar uma mudança da visão das pessoas sobre o conflito e ele justamente pode ser o apoio que elas necessitam para mudar o padrão e a dinâmica do conflito.

Além disso, por meio da interação das partes em uma mediação, na qual o ambiente de comunicação é bom, elas têm a oportunidade de em conjunto, em um contexto de colaboração, reconstruírem o conflito de uma forma positiva e olharem para o problema de outra forma, alcançando soluções que satisfazem os desejos de todos os envolvidos e interessados.

O conflito é algo presente na vida de todas as pessoas e deve ser encarado como um convite ao diálogo e uma oportunidade de aprendizado e de crescimento, tanto nas relações pessoais quanto profissionais, empresariais e até mesmo comunitárias.

Leia também

Comunicação não-violenta

Mediação de Conflitos

Referências

RAMÓN ALZATE SÁEZ DE HEREDIA, La dinámica del conflicto in Mediación y resolución de conflitos: Técnicas e âmbitos, 2ª edição, Tecnos, Madrid, 2013.

2018-08-18T18:35:48+00:00

2 Comments

  1. Rosangela Silva 17 de setembro de 2017 at 11:39 - Reply

    Excelente texto. Objetivo e elucidativo. Parabéns ao autor.

    • Flavio de Freitas Gouvea Neto 17 de setembro de 2017 at 12:51 - Reply

      Obrigado Rosangela, siga a nossa página para receber nossos textos.

Leave A Comment