O que é a mediação

Atualmente muito se fala em mediação, mas até agora muita gente não sabe muito bem o que é. Fiquem tranquilos, é um processo muito simples de ser entendido. Vou tentar explicar para vocês com uma linguagem acessível.

A mediação é um processo pelo qual pessoas que tem um conflito buscam uma solução amigável para ele, por meio da comunicação e com a ajuda de um mediador. É um espaço para um diálogo que tem como objetivo resolver um conflito. Ou seja, é uma negociação auxiliada por um mediador.

É um processo de solução de conflitos complementário aos tradicionais, como por exemplo o judicial e a arbitragem, e pode ser usado em todos os tipos de conflitos, desde uma briga de vizinhos até conflitos internacionais de grande escala, passando por conflitos familiares, de consumo, empresariais, etc.

A mediação pode ser feita extrajudicialmente, quando não existe um processo judicial em curso, ou judicialmente, quando existe um processo e o juiz convida as partes a participarem de uma mediação.

O mediador

O mediador é um profissional que facilita a comunicação entre as pessoas e as ajuda a buscar uma solução para o seu conflito. O mediador não julga os casos nem assessora ninguém, é um profissional neutro e imparcial que ajuda as pessoas a chegarem à um acordo. Também não pode ser considerado um conselheiro, é um profissional da comunicação e seu papel é ajudar as pessoas a negociar.

O conhecimento e formação em métodos e técnicas de negociação e mediação é essencial para que uma mediação possa ser feita de acordo com os princípios da mediação e o profissional possa fazer um trabalho de qualidade.

Os princípios da mediação

A mediação possuí quatro princípios básicos e todo o processo de mediação deve respeitar estes princípios. São eles a imparcialidade, neutralidade, voluntariedade e confidencialidade.

É muito fácil entender o que é a mediação e essa é uma das suas principais vantagens, os próprios interessados na solução do conflito conseguem entender bem como a coisa funciona. Já pensou em perguntar ao seu advogado quais os princípios jurídicos de um processo judicial? Provavelmente ele passaria horas conversando com você e ao final você terminaria com mais dúvidas do que quando começou a conversa.

O mediador exerce seu trabalho de uma forma imparcial. A imparcialidade é a necessidade de o mediador manter uma equidistância com as partes, de não simpatizar com alguma delas e com seus interesses e posições. Se trata de atuar de forma igual para os envolvidos no conflito, sem prejudicar ou beneficial alguém.

O mediador também é um profissional neutro. A neutralidade é a necessidade do mediador não se implicar no conflito, não deixar que seus preconceitos, crenças e valores pessoais prevaleçam sobre os das partes e sobre o tema da mediação, e que estes conduzam a mediação à um determinado caminho ou solução.

A mediação é um processo voluntário porque as pessoas são livres para decidir participar do processo, pedir a sua interrupção e sair dele a qualquer momento. Também significa que as pessoas são livres para celebrar ou não um acordo e que este é fruto da vontade e liberdade dos interessados. A voluntariedade se manifesta em todos os momentos da mediação.

Também é um processo confidencial já que toda a informação trocada pelas partes durante as sessões não pode ser usada em processo judicial ou para qualquer outro fim alheio à mediação. No mesmo sentido, nenhum participante da mediação pode revelar o conteúdo das sessões e o mediador não pode testemunhar sobre os assuntos tratados pelas partes.

O respeito aos princípios da mediação garantem a qualidade do processo.

Espero ter ajudado a esclarecer melhor o que é a mediação. O que você achou? Tem alguma dúvida sobre mediação? Deixe seu comentário abaixo.

By | 2018-05-29T19:09:55+00:00 maio 29th, 2018|mediação|

Leave A Comment